Uma nova época sobre os dons espirituais

Vivemos numa época que jamais foi imaginada na vida real. Apenas em desenhos animados e filmes extremamente futuristas poderíamos imaginar que chegariam os tempos onde viríamos a história acontecendo e poderíamos registrá-la. Por exemplo, o que você estava fazendo em 11 de setembro de 2001 quando as Torres Gêmeas foram atingidas? Naquela época já estávamos vendo a “história acontecer”.

Através de Smartphones, com suas câmeras, registramos o agora e compartilhamos, praticamente imediatamente com outras pessoas, que, na maioria das vezes, nem conhecemos, tudo o que quisermos.

Mas, o que essa fase fantástica da história humana tem a ver com os dons do Espírito Santo? Estamos vivendo uma fase totalmente nova em relação ao estudo dos dons também. Pois, durante muitos anos, no Brasil, quem dissesse que cria na contemporaneidade dos dons como Línguas, Profecia (como fruto de revelação e não pregação), Interpretação de Línguas, Milagres e Curas, seria automaticamente associado a um fanático sem conhecimento teológico adequado que precisava passar por um bom curso num seminário realmente bíblico. Graças a Deus, as coisas estão mudando, e isso se deve, ao meu ver, principalmente às publicações na área.

O poder que há no papel em branco é inestimável! O papel é branco para qualquer autor, e para revolucionar com o que será escrito basta saber formular os argumentos corretos para defender as ideias verdadeiras que podem abençoar um número incontável de vidas e espalhar os escritos, fenômeno também conhecido como “publicação de livros”. Daí a incrível importância desta editora (Carisma) em se preocupar em publicar livros que sejam ferramentas úteis nas mãos dos filhos de Deus.

Durante meus anos de Graduando no Seminário Teológico escutei inúmeros colegas e professores defendendo a ideia totalmente equivocada de que os dons que mencionei há pouco haviam cessado no fim do primeiro século, com os apóstolos. Depois me inteirei do que se tratavam tais argumentos. Mas, eu sempre pensava: “Onde estão os verdadeiros livros, que falam a verdade sobre este assunto?”. Fui à pesquisa e tenho encontrado um número cada vez maior de literatura bem fundamentada na Bíblia e na história que mostram como tem sido a atuação de Deus no meio do seu povo, dando dons conforme lhe apraz. Descobri também, e isso tem um gosto todo especial, que boa parte dos grandes teólogos que eram e ainda são tidos como ícones pelos cessacionistas, eram na verdade contemporistas, isto é, eles criam na contemporaneidade dos dons do Espírito Santo. E não somente criam, muitos deles mesmo profetizavam!

Estamos vendo a dobradiça se dobrar e a porta se abrir para uma nova fase onde o povo de Deus poderá se alegrar por estudar e desfrutar dos dons do Espírito Santo. Muitos dos meus queridos alunos do Seminário estão descobrindo que não é incompatível ser um teólogo erudito e um homem cheio do Espírito Santo. Questão que abordo no meu quarto livro “Teologia Para Toda a Igreja”, muito pelo contrário! Eu tenho tentado transmitir essa verdade a cada aula, indicando literatura adequada e até mesmo lendo para eles durante minhas aulas. Alguns não creem, é verdade, mas, esses são a minoria. Além do mais essa não precisa ser a condição eterna deles, é possível até que alguns tenham mudado de opinião depois de minhas aulas!

Livros como “O Dom de Profecia” (Wayne Grudem), “Surpreendido Pelo Poder do Espírito” e “Surpreendido Com a Voz de Deus” (Jack Deere), “Qual a Sua Função no Corpo de Cristo” (Magno Paganelli), “A Verdadeira Obra do Espírito” (Jonathan Edwards), “Avivamento e Renovação” (Russell P. Shedd), “A Manifestação do Espírito” (D. A. Carson) e “Sob Os Céus da Escócia” (Renato Cunha) devem ser lidos e recomendados por aqueles que, como nós, temos interesse em que se propague o verdadeiro conhecimento sobre as maravilhosas atuações de Deus entre seu povo. Esses livros, a maioria escritos por eruditos da Teologia com renome internacional, deixam atônitos aqueles que discordam da visão contemporista que defendemos. São como se fossem verdadeiros “socos no queixo”, tomando emprestado o vocabulário do Boxe. O grande “nocaute” acontece quando essas obras relatam o que realmente acontecia entre os supostos cessacionistas do passado, a exemplo do que Grudem e Cunha fazem nas suas obras. O jargão é antigo, mas, ainda é verdadeiro, “contra fatos não há argumentos!”.

Quero agora relatar alguns fatos transcritos nos livros que recomendei. Russell P. Shedd relata algo bem interessante: “Ana, de apenas 25 anos, era analfabeta, mas isso não impediu que ela recebesse um chamado para servir ao seu mestre. Um dos principais presentes que ela ganhou do Senhor foi quatro cânticos que ela decorou. Quando os cantava, os ouvintes se convertiam. Ela ia de casa em casa, pedindo que seus moradores levassem seus ídolos para fora de casa para queimá-los. Foi agraciada com o dom de profecia com que revelava os pecados individuais daqueles com quem se encontrava. Numa ocasião, entrou numa casa onde havia uma mulher cega. Depois de lhe explicar o caminho da salvação, derramou água nos olhos da cega que logo foi curada. Cada vez que encontrava uma pessoa cega, pedia ao Senhor o poder para curá-la. Deus a usou para curar dez cegos, mas somente após eles confessarem e se arrependerem dos seus pecados”[1].

O fato de Dr. Shedd, como é conhecido no Brasil, afirmar tal coisa em livro, produz uma enorme repercussão em todo o país, pois o mesmo goza da confiança de praticamente todas as denominações evangélicas por aqui.

Outra menção digna de nota é a que Wayne Grudem[2] traz no livro “O Dom de Profecia” a respeito do famoso Príncipe dos Pregadores: “Na reunião de oração de segunda-feira à noite, na qual Spurgeon relatou o incidente ligado ao sermão de 31 de julho, ele também mencionou um sermão proferido no Exerter Hall, no qual ele repentinamente mudou de assunto e apontou para uma certa direção, dizendo: “Meu jovem rapaz, você não pagou por essas luvas que está usando: você as roubou de seu patrão”. No término do culto, um jovem bastante pálido e agitado veio até a sala que era usada como gabinete pastoral e implorou para conversar em particular com Spurgeon. Ao entrar na sala, ele colocou o par de luvas sobre a mesa e, chorando, disse: “Essa foi a primeira vez que roubei meu patrão e nunca o farei novamente. O senhor não vai me delatar, vai? Minha mãe morreria se ouvisse que eu havia me tornado um ladrão”.

Por último, para deixar os leitores com um pouco mais de curiosidade a respeito do assunto, e aguardar as publicações que chegarão ao público por meio desta editora em breve, menciono uma troca de mensagens entre Wayne Grudem e J. I. Packer, uma das maiores autoridades do mundo em relação sobre os Cristãos Puritanos, supostamente cessacionistas. Grudem[3] relata: “Gostaria de adicionar uma nota pessoal a esse trecho. Quando vi esse material de Baxter pela primeira vez, tirei uma cópia dessas duas páginas e as enviei a J. I. Packer, cuja tese de doutorado em Oxford era sobre a obra de Baxter. Packer enviou-me a seguinte mensagem de volta: A propósito, algumas semanas atrás você me enviou um pequeno texto de Baxter sobre o fato de Deus fazer revelações pessoais informativas. Esse era o padrão da visão puritana, como observei: eles não eram cessacionistas de acordo com a ideia de Richard Gaffin”.

Pois é. Eu também fiquei surpreso, mas, nem tanto!

Espero que este pequeno texto sirva para o despertamento para a verdadeira investigação bíblica e histórica a respeito dos Dons do Espírito Santo. Não precisamos de mais papagaios que apenas repetem o que vem sendo dito a décadas. Antes, precisamos que o povo de Deus examine, sobretudo, as Escrituras, não tentando impor ao texto Sagrado suas próprias opiniões!

Que o Senhor Deus todo-poderoso tenha misericórdia de nós e nos encha com Seu Santo Espírito!


[1] SHEDD, Russell P. Avivamento e Renovação: em busca do poder transformador de Deus. São Paulo: Shedd Publicações, 2004. p. 52

[2] GRUDEM, Wayne. O Dom de Profecia. São Paulo: Vida, 2004. p. 459.

[3] GRUDEM, Wayne. O Dom de Profecia. São Paulo: Vida, 2004. pp. 456-457.

Categorias: Reforma & Carismas

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.